1º/14º GAv - Esquadrão Pampa

 

O Esquadrão Pampa tem suas origens no Terceiro Regimento de Aviação (3º RAv), da antiga Aviação Militar do Exército, criado na cidade de Santa Maria no dia 13 de dezembro de 1933 e transferido para a cidade de Canoas em 05 de agosto de 1937, ambas no Rio Grande do Sul. Com a criação do Ministério da Aeronáutica, em 20 de janeiro de 1941, e através do Decreto Lei nº 2.961, o 3º RAv foi incorporado às Forças Aéreas Nacionais, as quais passaram a se denominar Força Aérea Brasileira em 22 de maio de 1941.

 

Em 17 de agosto de 1944, o 3º RAv passou a ter duas Unidades Operacionais: o Primeiro Grupo de Bombardeio Leve (1º GpBL) e o Terceiro Grupo de Caça (3º GpCa), sendo criado o Quarto Grupo de Caça (4º GpCa), também em Canoas, no dia 10 de dezembro de 1945. Com as mudanças na estrutura operacional da FAB durante o pós-guerra, em 24 de março de 1947 o 3º RAv passou a denominar-se Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação (1º/14º GAv), herdando o acervo e a infra-estrutura do 3º GpCa e do 4º GpCa.

 

O símbolo do Esquadrão Pampa mostra o Zé Gaúcho (inspirado no papagaio-malandro Zé Carioca) vestido com macacão, capacete de vôo e cachecol em torno do pescoço, cuia de chimarrão e chaleira, recostado sobre uma bomba de emprego geral em ângulo de bombardeio picado. No seu colo, uma metralhadora "ponto cinqüenta" daquelas que o Curtiss P-40 usava. Sobre uma nuvem, o seu lema: "Já te atendo, tchê!"

 

Com o objetivo de promover o incremento da eficiência administrativa e maior racionalidade da estrutura organizacional, em dezembro de 2016 o Comando da Aeronáutica extinguiu o Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), o Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), as quatro Forças Aéreas (I FAe, II FAe, III FAe e V FAe) e os Comandos Aéreos Regionais (I COMAR, II COMAR, III COMAR, IV COMAR, V COMAR, VI COMAR e VII COMAR). Nesse processo de reestruturação, o COMGAR foi substituído pelo Comando de Preparo (COMPREP), o COMDABRA pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e as Bases Aéreas foram transformadas em Alas, mantendo sob sua subordinação as Unidades Aéreas sediadas em cada uma delas. Assim, no dia 15 de dezembro a Base Aérea de Canoas se tornou a Ala 3, e nela estão sediados o 1º/14º GAv Esquadrão Pampa, o 2º/7º GAv Esquadrão Phoenix (anteriormente sediado na Base Aérea de Florianópolis) e o 5º ETA Esquadrão Pégaso.

 

Aeronaves

 

As primeiras aeronaves utilizadas foram os bimotores Douglas A-20K Havoc e os monomotores Curtiss P-40 Warhawk, nas versões E, K, M e N, ambos de fabricação norte-americana. Em 1954, os P-40 foram substituídos pelos jatos Gloster Meteor, fabricados na Inglaterra, nas versões monoplace F-8 e biplace TF-7, tendo a primeira esquadrilha chegado em Canoas no dia 24 de setembro. Os Gloster F-8 e TF-7 Meteor foram desativados em 30 de novembro de 1966, recebendo no mesmo ano os Lockheed TF-33 T-Bird de fabricação norte-americana. Com a introdução do Embraer AT-26 Xavante na FAB, todos os TF-33 restantes passaram a ser utilizados pelo 1º/14º GAv, até a sua completa desativação em dezembro de 1975.

 

Em 26 de novembro de 1976, chegaram os primeiros Northrop F-5E Tiger II do Esquadrão Pampa, novos de fábrica, camuflados em dois tons de verde e um de castanho e configurados com sonda de reabastecimento. Essas aeronaves foram transferidas para o 1º Grupo de Caça em 1988, quando chegaram vinte e dois monoplaces F-5E e quatro biplaces F-5F oriundos dos Estados Unidos, onde eram utilizados como aeronaves de treinamento de combate aéreo na US NAVY.

 

O jato supersônico Northrop F-5E Tiger II é um caça tático bimotor de defesa aérea e ataque ao solo fabricado nos Estados Unidos. A sua velocidade máxima atinge cerca de 1.700 km/h, possuindo dois canhões Pontiac de 20 mm e capacidade de levar os mísseis brasileiros Piranha e os israelenses Python III, IV e Derby, além de bombas e foguetes. Os Tiger II da Força Aérea Brasileira foram modernizados através de um programa de revitalização desenvolvido pela Embraer, que ampliou em muito as suas capacidades de emprego de novos armamentos e navegação. Os Northrop/Embraer F-5EM e F-5FM Tiger II são os atuais vetores do Esquadrão Pampa.

 

Fonte: SPOTTER / CECOMSAER

 

RETORNAR